sexta-feira, 19 de junho de 2009

Dica: Freio à disco


Amigos, para os que possuem Karmann-Ghia, Fusca ou algum de seus derivados e fez alguma melhora para ganho de potência, uma dica legal é a instalação de freio à disco. Para as preparações mais leves, os discos originais do fusca moderno na dianteira e tambor com lona na traseira já são suficientes, mas para as preparações mais pesadas, essa configuração já não atende tão bem e os discos de freio na traseira passam a ser uma opção interessante.

Para essa dica, usarei como exemplo as adaptações que fiz eu meu Karmanga.

Quando comprei o carro, o sistema de freio era o origina à tambor estreito nas quatro rodas (rodas 5 furos) até resolvia para um carro que mal conseguia superar os 100Km/h, mas quando instalei o motor 1.7 do SP2, achei por bem melhorar a capacidade de frenagem. Fiz algumas pesquisas e resolvi comprar um eixo dianteiro de Brasília (o eixo do fusca moderno também serve) que já vem com discos sólidos e a distancia entre as rodas é maior, melhorando a estabilidade.

Para traseira os semi-eixos e tambores mais largos, também originais da Brasília.

Já ao colocar o motor AP, aceitei a sugestão do Isidoro (da Isidoro Skap que fica na avenida do canal) em adaptar um sistema de freio à discos na traseira.

Para isso foi necessário um par de discos dianteiros do Fusca Itamar, um par de pinças traseiras do Tempra Turbo (é interessante escolher uma pinça, cujo carro possua freio de mão na própria peça, como é o caso do Tempra turbo, Golf, Kadett GSI entre outros. Já o Omega e o Vectra, por exemplo, além da pinça traseira, possuem um pequeno tambor somente para o freio de mão.) e um par de cabos de freio de mão da Kombi. O restante do material, foi aproveitado, modificado ou produzido na própria oficina do Isidoro e num torneiro mecânico no Montese que agora não recordo o nome.

Em primeiro lugar, são retirados os tambores e enviados ao torneiro mecânico, junto com os discos, para que seja extraído o centro da parte interna do tambor (a peça que encaixa no fresado do semi-eixo) e furado pra fixar o disco.

Enquanto essas peças não voltam, vai sendo criado o suporte da pinça e um pequeno conduite para passar o cabo de freio de mão. Depois disso é só montar tudo e no meu caso, colocar os cabos da Kombi, pois os originais ficaram curtos. Parece até fácil, mas a criação das peças é o que demoram mais.

Já encontrei kit pronto no Mercado Livre por pouco mais de mil reais. Confesso que gastei muito menos que isso.

Qualquer dúvida, mandem um e-mail mauriciostudart@hotmail.com ou liguem para o Isidoro (85 34944721 ou 85 30818490) solicitando um orçamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário